Em janeiro de 2012, os amigos Gustavo Ribeiro, Jorge Metello e Marcelo Cardenuto resolveram criar uma startup para ajudar as pessoas a decidirem o melhor produto para comprarem online de acordo com o seu perfil e necessidades, assim nasceu o Bedoo. Ele surgiu com uma forte ligação com a ESPM, participando da incubadora dela durante seu estágio inicial.

O Bedoo tem como missão fazer com que o consumidor tenha a melhor compra possível para ele. Como? Oferecendo o  produto certo, com o melhor preço e adequado às suas necessidades, baseando no perfil, estilo de vida, comportamento e atitudes de cada um dos clientes. Esse conceito é chamado de Fast Shopping, pois o cliente não precisar fazer longas pesquisas para encontrar o melhor produto para ele.

Eles já possuem parceria com grandes lojas de e-commerce e, por isso, conseguem atuar em todo o Brasil. Na verdade, isso é uma das exigências que eles tem para as lojas parceiras, o que é bem interessante, pois eles querem manter um nível de qualidade para não sujarem a reputação do Bedoo. Veja as outras exigências que eles fazem:

  • Logística para todo o Brasil;
  • Site de e-commerce dentro dos padrões de mercado;
  • Disponibilidade para diversas formas de pagamento;
  • Política rígida de privacidade e de segurança das informações dos usuários;
  • Termos e condições dentro dos padrões de mercado;
  • Selos indicativos de qualidade do site e de segurança das informações.

O modelo de negócios do Bedoo funciona como uma plataforma, ela tenta conectar dois segmentos de clientes com propostas de valor diferentes e recebe uma taxa para fazer essa conexão. Ele ajuda os clientes que querem comprar numa loja online a acharem o produto certo para eles com um bom preço e levam esse cliente para a loja do parceiro para que o cliente possa efetivar a compra e ele ganha uma taxa por isso.

Para funcionar bem o modelo, eles precisam focar nos clientes que querem comprar online com sugestões baseadas no perfil deles, pois eles não se tem certeza se esse segmento de cliente realmente existe e quão grande ele é, ao contrário das lojas de e-commerce que todos sabemos que existem e que já fazem parcerias com empresas que levam clientes para eles.

Ou seja, o sucesso do Bedoo dependerá se as pessoas realmente vão querer recomendação para comprar online e se o algorítimo de recomendação será bom o suficiente para que as pessoas fiquem felizes com as recomendações feitas. Dessa forma a reputação deles é muito importante, pois a melhor forma de crescimento deles é através de clientes que ficaram satisfeitos com o serviço e recomendaram. Pois, do contrário, o custo de aquisição de clientes pode tornar inviável a operação deles.

Abaixo segue o modelo Canvas para vocês verem com mais detalhes:

.

.

O design do site deles é muito bonito, intuitivo e com uma user experience (UX) muito boa. O fato das perguntas serem simples, diretas e não passarem de 5, torna muito simples e fácil de se usar. Além disso, eu gostei da corujinha com cara de má! ehhehe

Eles inclusive foram finalistas do prêmio Brazil Startup Award no quesito UX, acabaram não levando, mas de qualquer forma é um bom reconhecimento do trabalho deles.

Abaixo segue uma foto da equipe durante o evento:

O conceito é interessante, resta passar saber se o mercado vai aprovar, em breve saberemos se os brasileiros querem um “vendedor online” ajudando eles a decidirem ou se eles vão continuar pesquisando eles mesmos pelo melhor produto ou buscando recomendações de amigos.

Outro ponto importante é que eles disputam por clientes do Buscapé, Bondfaro, outras startups de recomendação e busca de produtos online e até do próprio sistema de recomendação e mais vendidos das grandes lojas online. Talvez seja interessante eles focaram num nicho específico desse mercado para começarem e irem expandido para outros nichos. Quem sabe um nicho interessante é o de pessoas sem tempo para buscarem o melhor produto, essas pessoas normalmente possuem uma baixa sensibilidade a diferença de preço mas que são mais exigentes do que a média. No outro extremo, temos o nicho das classes C, D e E que estão crescendo bastante, são altamente sensíveis a preços mas que, em geral, não possuem muito conhecimento sobre produtos tecnológicos. A falta de foco talvez seja um ponto que dificulte muito o crescimento deles.

.

#FicaaDica: Um bom design e uma boa experiência de usuário podem ajudar bastante na sua startup, quanto mais direto e simples for o site, mais intuitivo e fácil ele será de se usar. Apenas isso não tornará sua startup um sucesso, mas pode ter certeza que será um bom diferencial frente aos seus concorrentes atuais e os que virão atrás de você caso sua startup dê certo!

.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s