Analisando o programa Startup Brasil

Analisando o programa Startup Brasil

Nessa última semana saiu o resultado das aceleradoras escolhidas pelo Startup Brasil, imagino que vocês devam ter ouvido falar.

Mas para quem não conhece o programa, ele é uma iniciativa do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (vulgo MCTI) que investirá R$ 36 MM, esse dinheiro será investido em até 100 startups através de 9 (antes eram 6) aceleradoras selecionadas por edital.

As aceleradoras irão selecionar as startups para participar dos seus programas de aceleração e essas, além dos valores investidos normalmente pela aceleradora, vão receber R$ 200 mil reais do programa.

A iniciativa surgiu usando o bem sucedido programa Startup Chile como exemplo, porém adaptando a realidade brasileira.

Alguns pontos interessantes a se notar:

  • A aceleradora em nenhum momento receberá dinheiro, o benefício dela será atrair as melhores startups e oferecer mais recursos financeiros para que ela seja bem sucedida e, assim, dar um retorno financeiro para aceleradora;
  • Até onde eu saiba os R$ 200 mil serão concedidos em bolsas para pagar salários, o que eu particularmente não gostei, pois as startups, em geral, investir na aquisição de clientes principalmente e precisam manter uma estrutura enxuta e essas bolsas são um incentivo a contratar pessoas demais e que podem não ser as melhores pessoas;
  • O projeto visa estabelecer um escritório no Vale do Silício para facilitar e aumentar a participação de startups brasileiras no Vale do Silício;
  • Parece que haverá uma cota para startups estrangeiras entrarem nas aceleradoras e movimentarem o cenário brasileiro, algo estilo Startup Chile;

Essa aceleradoras foram selecionadas de acordo com 4 critérios, onde a nota máxima para cada um seria 5 e a nota máxima total seria 70:

  • Equipe e estrutura (peso 5)
  • Network (peso 4)
  • Alinhamento com os objetivos do programa (peso 3)
  • Posicionamento no ecossistema (peso 2)

Se quiser dar uma olhada na apresentacão oficial, veja aqui os slides:

.

.

Esse edital recebeu 23 propostas, infelizmente não tenho dados sobre essas propostas, gostaria pelo menos de saber as cidades delas. Dentro dessas 23, foram selecionadas 9 aceleradoras, seguem elas abaixo:

  • 21212: Rio de Janeiro
  • Papaya: Rio de Janeiro
  • Pipa: Rio de Janeiro
  • Outsource: Rio de Janeiro
  • Aceleratech: São Paulo
  • Wayra: São Paulo
  • Microsoft: São Paulo e outros locais (informação não confirmada)
  • Fumsoft: Belo Horizonte

E é exatamente essa seleção que está gerando uma polêmica sobre o programa. Obviamente não é todo mundo que ficará satisfeito com o resultado, então o Startupi fez um post falando sobre isso (veja aqui), tem alguns argumentos que vale a pena analisar:

  • “São Paulo é a cidade mais rica e por isso deveria ter mais aceleradoras”:  Apesar de São Paulo ser a cidade mais rica do Brasil, o Rio de Janeiro também tem um ecossistema de startups bastante desenvolvido e com aceleradoras mais estabelecidas do que São Paulo, dessa forma não estou surpreso com o Rio ter mais aceleradoras do que São Paulo, das mais reconhecidas apenas a Treelabs e Germinadora não foram selecionadas, mas nem sei se submeteram alguma proposta;
  • “As aceleradoras deveriam ser mais espalhadas pelo Brasil”: Esse é um argumento que eu mesmo fiz, pois TODAS as aceleradoras foram da região Sudeste, o que me deixou bem triste. Porém não posso falar que foi injusto, eu fiquei sabendo que o Porto Digital de Recife não participou (o que eu fiquei surpreso e triste novamente) e lá no Sul do país eu não conheço as aceleradoras mas tem um ecossistema interessante de startups, porém em nenhum momento do critério falava em distribuição geográfica. Então, por mais que me deixe chateado, eles estão dentro do critério estabelecido;
  • “Tudo que o governo faz é merda”: Não vale a pena conversar e nem argumentar com uma pessoas que pensa assim;
  • “Algumas aceleradoras ainda nem existem e foram selecionadas”: Também fiquei surpreso com isso, mas não posso falar nada pois não vi as propostas que eles fizeram;
  • “O governo devia abrir as propostas para todo mundo”: Apesar de gostar de transparência do governo, os projetos são da iniciativa privada, vulgo das aceleradoras, e elas passaram dados importantes tanto de funcionamento como estratégico. Dessa forma, abrir o jogo das aceleradoras não me parece algo que elas gostariam de fazer;
  • “Todo o dinheiro do programa deveria ir para as startups”: Existem pessoas para executar o programa que precisam ser pagas, existem custos de viagens, palestras (O Steve Blank virá para o Brasil, imagine o cash dele), será montado um escritório no Vale do Silício entre diversos outros custos da operação, então se você fizer a conta do número de startups vezes o valor do investimento e dizer que o resto do dinheiro vai todo por causa da corrupção, fique quieto e tente faça um cálculo descente pelo menos antes de vier falar isso;

Por último, mas não menos importante, o Felipe Matos, fundador do Startup Farm e do Instituto Inovação, foi escolhido para fazer a operação do Startup Brasil dando um aval do mercado, dessa forma, mesmo que eu não goste do governo e da politcagem que eles fazem, eu confio plenamente que o Felipe vai fazer de tudo para que seja tudo feito por meritocracia. Que as melhores aceleradoras sejam selecionadas, que o programa não seja emperrado por politicagem e outros eventuais problemas que se tem quando se trabalha com o governo.

Vale lembrar que o Edital para as startups ainda não saiu e deve sair no final desse mês, vamos aguardar para ter mais detalhes.

Lembrando que essa é minha opinião e o meu único objetivo é que o programa do governo não seja desmerecido apenas por ser do governo, ele veio aqui para fomentar e ajudar o ecossistema de startups do Brasil e posicionar o Brasil como um polo empreendedor no mundo.

.

Não concorda comigo? Deixe seu comentário que eu vou adorar ouví-lo e ver se faz sentido.

.

Empreendendo Parte 1: Tudo começa com o porque!

Empreendendo Parte 1: Tudo começa com o porque!

 

Atualmente ser empreendedor é a “profissão” da moda e você pergunta a um jovem universitário e é bem provável que ele pense em fazer uma startup, porém, como o capitão Nascimento dizia, ” NUNCA SERÃO”. Ok, estou exagerando um  pouco.

Mas ser empreendedor é um trabalho muito mais duro do que as pessoas acreditam e que a mídia adora utopisar, mostrando o empreendedor tendo uma ideia brilhante e  ficando rico. Porém tem muita coisa entre esse caminho que não é mostrado.

Eles não mencionam o trabalho duro por trás, empreendedor não tem final de semana e não tira férias, é preciso viver a sua startup, sendo que muitas vezes você não sabe se ela vai estar viva próximo semana. Todo empreendedor sabe que é uma montanha russa emocional, às vezes você acredita que vai dominar o mundo e outras que você está fazendo tudo errado e que vai quebrar próxima semana.

Além disso, pelas estatísticas, por volta de 80% das startups irão morrer!

Então o que leva um empreendedor a arriscar tudo num ambiente tão incerto e difícil? Dinheiro? Se você fizer os cálculos de quanto você trabalhará e da chance de conseguir dinheiro, verá que é muito difícil compensar financeiramente falando, melhor ir virar um gerente ou executivo numa grande empresa. Então por que eles fazem isso? Eu identifiquei dois pontos principais:

 

  • Visão: Eles tem uma visão de mundo que querem que ela aconteça de todas as formas
  • Paixão: Eles tem um motivo maior como mudar o mundo para seguir

 

Sem nenhuma desses dois pontos, a chance de um empreendedor não aguentar as dificuldades e desistir é muito maior. Sempre que você tiver um problema ou dificuldade, revisite a sua visão e a sua motivação para lembrar do porque você começou a sua startup. Isso te ajudará bastante nesse longo percurso. Pensando no nível da startup, essa visão e paixão dos fundadores que se transformará na cultura da empresa e é exatamente ela que servirá para os momentos de dificuldade da startup, que com certeza virão.

Dessa forma, antes de você empreender, pense nas seguintes perguntas e depois reflita se é realmente o que você quer fazer e se esse é o momento ideal:

 

1.Qual a sua motivação para empreender? Você tem paixão pelo que quer fazer?

2.Qual visão de mundo você quer atingir com sua startup?

3.O que aconteceria se você falhasse? Alguém faria sua visão acontecer?

4.Você está disposto a se dedicar quanto tempo a essa visão?

5.Se der tudo errado, quanto tempo você consegue aguentar sem a sua startup dar dinheiro?

6.Você conhece pessoas que compartilham a mesma visão que a sua?

 

Em resumo, o primeiro dos círculos é o Why (Porque) que nada mais é do que a sua Paixão mais a sua Visão e que se transformará na cultura da empresa.

Ainda quer empreender? Excelente!

Mas antes de ir para o How (Como) é preciso saber se os seus clientes compartilham da sua visão. Ou seja, fale com os seus potenciais clientes.

Durante o carnaval, aproveite para pensar no porque você quer empreender. =)

 

Lance sua Ideia com o Startup Ignition

Lance sua Ideia com o Startup Ignition

 

Sabe daquela ideia que você tem e que está com problema para colocar em prática? Tire-a da gaveta e coloque-a no mercado em apenas 3 dias com o Startup Iginition. Esse é o novo projeto que estou começando junto com o Guilherme Mosaner (responsável pelo desenvolvimento de negócios da aceleradora Startup Farm) e o pessoal da excelente consultoria de design Voël.

O objetivo é juntar conhecimentos de negócios, design e desenvolvimento num trabalho intensivo de 3 dias para modelar e prototipar a sua ideia.

Quer conhecer mais sobre o nosso trabalho? Veja abaixo o nosso folder com o processo e a equipe completa:

 

Startup Ignition Lançando boas ideias Empreendedorismo Startup modelo de negócios consultoria MVP desenvolvimento negócios

Pesquisa sobre Startup para MBA

Pesquisa sobre Startup para MBA

Pessoal,

Estou fazendo o meu trabalho de conclusão de curso do meu MBA sobre startups, mas especificamente um comparativo entre startups com modelos validados lá fora e startups inovadoras, e estou fazendo uma pesquisa para obter dados para analisar.

Eu gostaria de ter ao menos 50 startups nessa pesquisa e, por enquanto, estou com apenas 30! Preciso de uma ajuda nessa para poder fazer um trabalho legal!

A pesquisa é bem rápida, não leva nem 5 minutos! Por favor, respondam a pesquisa clicando na imagem abaixo:

Pesquisa startup modelo de negócios, canvas, copycat, MBA, TCC

PESQUISA STARTUP PARA O TCC DO MBA

OBRIGADO =)

Tudo começa com o porque!

Tudo começa com o porque!

 

Você já se perguntou porque a Apple consegue levar multidões para esperarem horas na fila pelos produtos dela?

É isso que o Simon Sinek busca responder com a sua teoria do Golden Circle, descrita no livro Start With Why. Esse Golden Circle é composto de 3 levels: WHY (Porque), HOW (Como) e WHAT (O que).

Veja abaixo a ilustração do Golden Circle:

Golden Circle - Tudo começa com o Porque Simon Sinek Empreendedorismo canvas modelo de negócios

Ele fala que empresas como a Apple se comunicam começando pelo centro do Golden Circle, ou seja, começam com o porque que elas existem. Ao contrário da grande maioria das empresas que começam de fora para dentro, apresentando primeiro o que elas fazem e, muita vezes, nem falando a razão delas de exister.

Um anúncio da Apple fala mais ou menos o seguinte:

“Tudo que fazemos acreditamos desafiar o status quo, acreditamos em pensar diferente. Fazemos produtos que são lindamente desenvolvidos e fáceis de serem usados. Nós acabamos fazendo excelentes computadores, quer comprar um?”

Veja que eles começaram explicando o porque eles fazem isso, depois como eles fazem isso e, finalmente, o que é o produto deles.

Outras empresas começam a falando que a empresa é confiável e que o produto tem as melhores especificações do mercado, porém isso não faz com que as pessoas se sintam inspiradas por essa empresa, ela até pode ganhar dinheiro e ter sucesso, mas não terá uma legião de fãs e pessoas que acreditam e confiam nela. Não é preciso fazer o que a Apple faz para ser bem sucedido, mas para ser como a Apple, é preciso inspirar as pessoas.

Eu achei essa ideia muito interessante e comecei a pensar numa adaptação do Golden Circle para o contexto de empreendedores começando uma startup. E vou descrevê-la nos próximos posts. Aguardem! 😉