Dicas rápidas para fazer negócios no Japão

Dicas rápidas para fazer negócios no Japão

A cultura japonesa é recheada de tradições e formalidades e no mundo dos negócios não podia ser diferente. Se você como um estrangeiro mostrar respeito e se adaptar à etiqueta empresarial japonesa poderá fechar ótimos negócios e por isso preparei neste artigo algumas dicas práticas para você se dar bem neste tipo de negociação.

O primeiro passo é estar vestido de maneira formal. Nunca arrisque em camisas muito chamativas ou em um terno bege com uma calça preta. Busque ser simples sem deixar a elegância. Adote atitudes conservadoras e fale em um tom mais baixo do que aquele que se costuma usar em uma conversa de negócios no Brasil onde muitos se exaltam e querem aparecer, dando uma de show man.

Ao cumprimentar o anfitrião da reunião, dê o cumprimento japonês abaixando-se com cuidado e espero se ele estenderá a mão para cumprimentá-lo. Caso isso não aconteça fique tranquilo pois na cultura japonesa isto não é um sinal de desrespeito.

etiqueta de negocios no japao

Na hora de se sentar observe a posição de cada um na mesa e espere até ser indicado para sentar em uma cadeira específica. Na tradição japonesa cada lugar na mesa corresponde à uma posição de poder também dentro da empresa.

 Normalmente, o CEO ou gerente em questão ficará na ponta e os seus subordinados vão se sentar ao lado da mesa. As pessoas hierarquicamente superiores sentam-se mais próximas à pessoa de cargo mais alto, e a importância do cargo diminuir em direção ao lado oposto da mesa.

À regra de esperar estará presente em todas as atitudes da reunião, desde a hora de se sentar até a hora de comer e beber. Sempre espere o anfitrião tomar a atitude primeiro e depois siga com calma para realizar a mesma ação.

Dentro da etiqueta empresarial japonesa a atenção e o envolvimento são peças chave para consolidar o seu respeito na mesa de negócios. Envolva-se sem se impor, não interrompa a apresentação de uma ideia pela metade e sempre espera a sua vez de falar. Interromper no Brasil é comum mas na cultura japonesa é um sinal de desrespeito ao interlocutor.

Estas dicas são simples mas podem ajudar você a ter mais controle da negociação e mostrar o mínimo de respeito e formalidades com seu anfitrião japonês. Uma ótima dica também é tomar algumas aulas de japones e aprender algumas frases importantes. Isso também demonstra um sinal de respeito e um sinal de interesse em relação à lingua e ao país que você está visando.

E você? Já teve alguma experiência de negócios no Japão? Conte sua história na nossa seção de comentários!

4 coisas que você precisa saber antes de abrir uma franquia

4 coisas que você precisa saber antes de abrir uma franquia

Existem algumas dicas práticas para começar uma franquia sem dor de cabeças futuras. Reuni neste artigo 4 dicas que vão fazer você pensar seriamente se franquia é mesmo a sua praia! Confira:

1. Crie uma Marca Forte

É preciso saber desde o início que a magia por trás da sua marca é um dos pontos fundamentais para você alcançar sucesso à médio e longo prazo. Tenha em mente uma visão clara e objetiva em relação aos objetivos da sua marca. Lembre-se dos slogans das grandes marcas como “Amo muito tudo isso” e “Abra a felicidade” e busque traduzir estes valores desde o design da logotipo até a maneira como os funcionários tratam os clientes.

2. Você “vai ter que rebolar”

Por mais que você seja um exímio cozinheiro e esteja animado para seguir com uma franquia no ramo de restaurantes, em breve terá que utilizar de outras características (que muitas vezes não estão no seu alcance) para tornar sua franquia sólida e duradoura. Finanças, vendas, planejamento e recursos humanos são termos que farão parte do seu dia a dia e você vai ter que se acostumar a enfrentá-los. Para entender um pouco o dia a dia de uma franquia recomendamos este guia sobre franquias baratas de sucesso.

3. Entenda que franquias são maratonas de longas distâncias

Uma franquia que tem o objetivo de se estabelecer no mercado durante mais de 10, 20 e 30 anos precisa entender que a caminhada é longa. Você e seus sócios podem ficar muito animados nos primeiros anos de franquia, mas no amadurecer da empresa o que sustenta a sua estabilidade é a disciplina e a motivação diária. Tenha em mente desde o início que se você correr demais no início não terá fôlego para continuar em frente quando sua franquia expandir.

4. Escolha muito bem seus franqueados

Expandir a franquia para outros bairros e cidades é um sonho que acompanha todos que entram neste mercado. Apesar da grande expectativa para este momento, fique atento em relação as pessoas que estarão ao seu lado para realizar este grande sonho. Será que elas transmitem os mesmos valores que sua franquia? Será que estão disponíveis para compartilhar e construir o seu sucesso?

Observe e escolha cada franqueado como um sócio. Conheça seu ciclo social, conheça seus valores e se possível até sua família de perto. Não é uma tarefa simples, mas ter as pessoas certas com você te dará vantagens competitivas impressionantes à médio e longo prazo.

Para finalizar, segue um vídeo incrível sobre riscos em franquias

Feliz Natal e Boas Festas

Feliz Natal e Boas Festas

 

Pessoal,

Mais um ano está chegando ao fim e todo mundo (ou quase) fica feliz pelo ano que passou e esperançoso pelo ano que virá! O ano de 2012 foi um ano incrível para as startups brasileiras, muito dinheiro sendo investido aqui, grandes VCs começaram a olhar com interesse o Brasil, muitos eventos de empreendedorismo e muitos empreendedores de qualidade dispostos a deixarem a sua marca no mundo.

Eu gostaria de aproveitar esse finalzinho do ano para desejar a todos um Feliz Natal, boas festas e feliz ano novo, pois eu tenho certeza que o próximo ano será ainda melhor para o empreendedorismo no Brasil, teremos grandes eventos como a DEMO, o programa do governo Brasil Startup e muitas outras coisas legais para acontecerem.

Tenho certeza que 2013 nos surpreenderá de maneira que não esperamos e, quem estiver preparado, conseguirá tirar bom proveito, por isso “Stay Hungry and Stay Foolish” e QUE VENHA 2013!

 

Abraços,

Thiago Paiva

 

Canvas e o Monteiro Lobato

Canvas e o Monteiro Lobato

Nesse feriado, eu aproveitei para fazer um passeio de bicicleta no centro de São Paulo com uma visita guiada falando sobre os grandes escritores que viveram na região.

E eu ouvi uma história que tem tudo a ver com modelos de negócios. Sim, não estou brincando, literatura e inovação em modelos de negócios. =)

Perto da praça da Sé tem um prédio que antigamente era uma editora fundado pelo célebre escritor Monteiro Lobato, chamada Editora Monteiro Lobato e que depois passou a ser chamada de Companhia Editora Nacional.

Monteiro Lobato era um sonhador e idealizador (características comum em empreendedores) e queria democratizar o acesso aos livros com a sua editora. porém o Brasil era (e continua sendo) muito grande e com concentrações de renda e conhecimento em certos pontos.

Para ele conseguir atingir o objetivo dele, ele precisaria mudar o modelo de negócios das editoras daquela época. Então o que ele fez?

Fez parcerias com municípios para reduzir o preço final dos livros e identificar qual ponto da cidade que tinha maior movimentação de pessoas. Entrava em contato com esses pontos (açougues, padarias, cafés…) para venderem livros lá. Só aí temos uma inovação de parcerias e de canal de vendas, em municípios que não tinham livrarias, não fazia sentido ter tanto esforço para tentar abrir uma livraria logo de cara se as pessoas não tinham hábito de ler.

Mas ele foi além, ele inovou no relacionamento com os clientes, pois ele oferecia livros em consignado, dessa forma os clientes (padeiros, donos de açougue…) não precisavam se preocupar com estoques encalhados e ter o risco da compra dos livros.

Foi uma sacada bem interessante que deu um impulso tanto para a editora dele quanto para a literatura nesses municípios que ela conseguiu atingir, tudo isso fazendo uma inovação no modelo de negócios das editoras.

Se Monteiro Lobato fez uma excelente inovação de negócios sem ter ferramentas como o modelo canvas, imagine as inovações que você pode fazer na sua startups usando essas ferramentas? Pegue um canvas e mãos à obra.

Não conhece o Modelo de Negócios Canvas? Veja uma apresentação minha sobre o Modelo Canvas.

 

Qual a semelhança entre fazer uma Festa e uma Startup?

Qual a semelhança entre fazer uma Festa e uma Startup?

.

Nenhuma, certo?  Talvez fazer uma festa e uma startup não seja tão diferentes assim quanto você imagina!

Não se preocupe, eu vou explicar, mas primeiro eu gostaria de propor um exercício um pouco diferente.

Imagine que seus pais (se você não mora mais com os pais, imagine na época que morava) viajaram no feriado e você quer fazer uma festa sensacional, daquelas que os vizinhos não vão esquecer tão cedo.

Como você faria isso?

Você listaria os seus amigos que você gostaria que fossem, imaginaria que apenas um percentual deles iria para a festa, decidiria o dia e horário da festa e compraria bebida baseado no número estimado anteriormente, depois só esperar o pessoal esperar o dia  com a bebida preparada pelos seus amigos, certo?

Errado, provavelmente você não faria uma festa assim, porque você correria um grande risco de não ir ninguém na festa e você ter um prejuízo. Afinal de contas, seus amigos podem estar viajando, ou simplesmente ninguém estar afim de ir numa festa nesse feriado? Ou mesmo acontecer uma outra festa no mesmo horário da sua que você não sabia.

Você não faria isso numa festa, mas é interessante que é exatamente assim que muitos empreendedores fazem suas startups.

Você deve estar se perguntando, COMO ASSIM? Calma, eu explico.

.

  • Esses empreendedores fazem um estudo de mercado baseado apenas em dados, da mesma forma que a lista de amigos que eu falei;
  • Assumem que vão ter um determinado número de clientes, igual a assumir que um determinado número de amigos vai para a festa;
  • Definem o produto sem saber o que exatamente os clientes querem, da mesma forma que definir o dia e horário da festa sem perguntar se os amigos poderiam ir;
  • Investem tempo e dinheiro na startup sem ter uma validação do mercado, assim como o nosso festeiro de plantão compraria bebida assumindo que o número de amigos que ele definiu estava certo, sem antes ter nenhuma confirmação;

.

Perceberam como isso pode dar (e muitas vezes dá) errado? Então qual seria uma abordagem melhor para esse problema?

Uma forma menos arriscada seria de conversar primeiro com amigos mais próximos para ver se eles poderiam ir para a festa e dar sugestões sobre o dia, horário, quem chamar e mesmo outras coisas que você ainda não tinha pensado.

Assim você consegue definir melhor os detalhes da sua festa (produto) baseado no que os seus amigos (clientes) querem e ainda consegue saber se realmente vai ter quórum para sua festa (mercado), além disso, você consegue ter uma validação antes de gastar toda a sua mesada comprando bebida (investir muito dinheiro e tempo).

Seguindo esses passos, eu tenho certeza sua festa (startup) terá muito mais chances de ser um sucesso e que seus amigos, e vizinhos, se lembrem dela por um longo tempo

Essa metodologia é conhecida no mundo das startups como customer development e foi desenvolvida pelo grande guru das startups Steve Blank no livro The 4 Steps to Epiphany (review na sessão de livros recomendados).

Espero que esse post te motive a utilizar o customer development como uma ferramenta para te ajudar a realmente criar uma startup que tenha um produto/serviço que os clientes queiram.

Se quiser uma consultoria para aplicar os conceitos de customer development, envie um email para StartupBizModel@gmail.com

Segue um outro post meu sobre ferramentas para validação: “Hora de Colocar o Plano em Prática… Será Mesmo”.

.

Competições com Inscrições Abertas

Competições com Inscrições Abertas

Não sei se todo mundo está por dentro das competições de startups que estão em aberto nesse momento, então resolvi fazer um pequeno post falando das principais:

.

  • 11/06 – 09/07 Desafio Brasil: É a maior competição de plano de negócios do Brasil, ela é organizada pela FGV e está na sétima edição, dessa vez com prêmios bem interessantes: Vaga em competições internacional (Intel Global Challenge e Call to Innovation), vaga numa aceleradora no Vale (Plug & Play Tech Center, eu cheguei a visitar e ela tem uma mega infraestrutura) , vaga em aceleradora brasileira (21212), consultoria (Startup Farm, Biz Start…)  e  R$ 6 mil (que sinceramente não é nada).
.
  • 25/06 – 10/07 Startup Chile: É um programa do governo chileno para atrair empreendedores do mundo inteiro para estimular o ecossistema chileno de empreendedorismo. Eles oferecem assessorias e mentoria, escritório compartilhado e o mais importante, US$ 40 mil para serem gastos no projeto sem precisar dar nenhum equity da sua startup. O programa vale muito a pena pelos contatos com empreendedores do mundo inteiro e pelo dinheiro que ele te dá, porém é necessário ir para o Chile e ficar 6 meses por lá.
.
  • 04/06 – 30/08 Sua Ideia Vale Um MilhãoÉ uma competição organizada pelo Buscapé para buscar novos talentos e projetos promissores. Os vencedores recebem um aporte de R$ 300 mil, o que dá um valuation pós-investimento da startup de R$ 1 milhão. Essa competição pode ser muito interessante para startups que tenham alguma sinergia com o Buscapé.
.

Bom, essas são as que eu estou sabendo, se vocês conhecem outras interessantes, compartilhem aqui.

Boa sorte para todos que participarem!

.

Novas Recomendações de Livros

Novas Recomendações de Livros

Aos poucos pretendo colocar mais recomendações sempre que lembrar de um bom livro ou achar um livro interessante. Caso também tenham recomendações, por favor deixem como comentários.

Caso queiram ver todas as recomendações, cliquem aqui.

Seguem as novas adições:

.

A Estratégia do Oceano Azul

A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL – Chan kim e Renée Mauborgne

Esse livro é o que as pessoas chamam de game changer pois ele mudou as regras do jogo. Antes dele as pessoas estavam muito preocupadas com o modelo de Michael Porter de estratégia que foca seus esforços na concorrência e como ser melhor do que ela, o que o autor chama de oceano vermelho (por terem muitos concorrentes). A ideias é buscar oceanos azuis (sem concorrência) através da diferenciação ao invés de competição direta. Aplicável em todos os mercados, tanto para startups quanto apra grandes empresas.

Livro em Português                   Livro em Inglês                 PDF em Inglês  

.

 .

.

A Arte do Começo

.
A Arte do Começo – Guy Kawasaki

Se você está buscando um livro simples e direto sobre como começar a sua startup, esse é o livro que você estava procurando. Ele faz meio que um guia passo-a-passo sobre como realmente começar o seu negócio, com certeza vale a pena ler se você está começando agora, mas se você já está mais avançado, ele ser como um check list sobre o que você está fazendo e se está fazendo bem.

Livro em Português                   Livro em Inglês

 .
.
.