Modelo de Negócios – Compra3

Modelo de Negócios – Compra3

O modelo de negócios de compras coletivas foi iniciado pelo Groupon nos Estados Unidos em Novembro de 2008, porém só chegou ao Brasil em 2009 com o Peixe Urbano. Entretanto, antes do Groupon ser criado, uma startup brasileira já utiliza conceitos de compras coletivas.

Em Novembro de 2007, um ano antes do Groupon, era lançado oficialmente o Compra3 pelos empreendedores André Luiz Monteiro e Bruno Medeiros. Durante a faculdade, eles se uniam a outros estudantes para negociar formas de pagamento e descontos em livros universitários. Como essa forma de negociação funcionava bem, eles tiveram a ideia de criar uma startup utilizando esses mesmos conceitos, dessa forma surgiu o Compra3.

Apesar do seu modelo de negócios ser diferente do Groupon, ele utiliza o mesmo conceito de juntar várias pessoas para conseguir melhores descontos em produtos e serviços.

Um grande diferencial entre esses modelos é que as pessoas compram nos parceiros do Compra3 de forma normal, ao contrário dos sites de compras coletivas que compram um cupom para depois receber o seu produto/serviço. Sendo que é necessário fazer o registro das compras no site e no final do mês o Compra3 vê quantas pessoas compraram e qual o maior desconto que pode ser aplicado a esses produtos, depois eles devolvem o dinheiro do desconto na sua conta do Paypal (ação que eles chamam de Cash Back).

Ou seja, esse modelo possui duas diferenças básicas para o de compras coletivas:

  • Os clientes ao comprarem os produtos não sabem ao certo qual será o valor do desconto (sabem apenas qual o valor do desconto atual)
  • Os clientes precisam pagar antes para depois receber de volta o valor do desconto.

O fato dos descontos serem progressivos faz com que esse modelo seja mais sustentável no longo prazo (leia esse artigo que explica porque o Groupon não é sustentável).

E a fonte de receita do Compra3 é de uma taxa por venda, infelizmente não consegui descobrir quanto que eles cobram. Abaixo segue o modelo canvas deles:

Alguns riscos desse modelo são:

  • As pessoas não confiarem no modelo de cash back
  • De não obter uma boa base de usuários para negociar bons descontos
  • Os descontos iniciais não serem atraentes fazendo com que as pessoas não comprem e o descontos não aumentem

Alguns dados interessantes sobre o Compra3, é que eles não conseguiam investimento inicialmente e por isso levantaram dinheiro com 17 pequenos investidores (FFFs – Family, Friends and Fools), só depois conseguiram um investimento maior de um investidor-anjo do Vale do Silício, Michael Nicklas.

Após 3 anos, eles  atingiram o break-even e atualmente possuem mais de 600.000 usuários e acesso a mais de 1 milhão de produtos (em 14 lojas parceiras).

PS: Se quiser ver o modelo canvas do Peixe Urbano também, clique aqui.

#FicaaDica: Os fundadores da Compra3 utilizaram uma experiência de vida para transformar isso em negócios, empreendedores de verdade sempre estão ligados as oportunidades de negócios e a experiência de vida é uma excelente forma de encontrar oportunidades, pois todos passamos por problemas e temos que solucionar. Lembre-se para o empreendedor Problema = Oportunidade!

Análise do Modelo de Negócios – SaveMe

Existiam apenas 10 sites de compras coletivas quando os publicitários Guilherme Wroclawski e Heitor Chaves resolveram criar o seu. Enquanto eles desenvolviam o site deles, surgiam mais e mais sites a cada dia. Foi nesse momento que eles perceberam que não valeria a pena competir nesse mercado e que, ao invés de competir com eles, poderiam usá-los para fazer o negócio deles.

Eles perceberam que com tantos sites de compras coletivas, seria cada vez mais difícil encontrar ofertas que interessassem as pessoas e, por isso, resolveram criar um agregador de ofertas, o Zipme.

No início, eles tinham apenas 7 sites de compras coletivas cadastrados, mas logo cresceram e, dois meses depois, quando atingiram os 39 sites, o Buscapé se interessou por eles e comprou 75% do Zipme, que passoua a se chamar de SaveMe.

Depois de um ano da aquisição e de 5 milhões de reais investidos em marketing, o SaveMe conta com uma carteira de 600 clientes e atua no Brasil, Argentina, México, Colômbia e Chile.

O Zipme conseguiu sozinho e com pouco investimento um bom reconhecimento no mercardo, porém precisou de um grande investimento e do apoio de um grande grupo como o Buscapé para fazer uma expansão acelerada no Brasil e sua internacionalização.

Como a plataforma não precisaria de muitas mudanças para ser escalada, grande parte dos investimentos foram feitos em marketing, inclusive com propaganda na Televisão.

Indo para o modelo de negócios, ele funciona como um modelo publicidade, onde eles possuem um produto que atrai um público específico (pessoas interessadas em compras coletivas e clubes de compras) e cobram das empresas acesso a esse público.

As formas de cobrança que o SaveMe utiliza são:

  • CPC (Custo por Clique): Quando uma pessoa clica numa oferta
  • CPA (Custo por Aquisição): Quando uma pessoa que clicou numa oferta efetua a compra

Outra forma de receita deles é o uso de publicidade digital no site deles através de banners.

Abaixo segue o modelo canvas que ilustra bem esse modelo:

 

SaveMe

 

View more presentations from Thiago Paiva

 

Os principais riscos desse modelo são:

  • Risco de não conseguir uma base de usuários
  • Risco de não conseguir uma base de ofertas
  • Risco da baixa barreira de entrada nesse mercado
  • Risco dos usuários acreditarem que o SaveMe é responsável pelas ofertas

O modelo de agregador de compras coletivas é um caso muito interessante pelo fato dessa necessidade ter sido criada pelo próprio mercado de compras coletivas, além de que não deve sofrer muito com o estouro da bolha nesse mercado, pois sobreviveram alguns sites grandes mas diversos sites de nicho da cauda longa.

 

Dados da empresa:

    • Fundadores: Guilherme Wroclawski e Heitor Chaves
    • Setor de atuação: Compras coletivas
    • Lançamento: Julho de 2010
    • Investimentos: Setembro de 2010 – Buscapé
    • Nº de visitas: 20 milhões por mês
    • Nº de page views: 55 milhões por mês
    • Nº de cadastros: 1 milhão de pessoas
    • Nº de clientes: 600
    • Países de atuação: Brasil, Argentina, Colômbia, Chile e México

 

#FicaaDica: O SaveMe é um claro exemplo de empreendedores que pivotearam ao perceber que o mercado estava ficando saturado e que essa saturação era em si uma grande oportunidade de negócio

Por isso, não ignore os sinais que o mercado está lhe dando e não fique preso a um plano, apenas o tenha como guia.

Análise do Modelo de Negócios – Peixe Urbano

O modelo de compras coletivas foi criado nos EUA pelo Groupon no final de 2008 e foi um sucesso imediato.

No Brasil, o Peixe Urbano foi o pioneiro nesse modelo, além de ser totalmente brasileiro.

As compras coletivas se mostraram bastante rentáveis no mundo todo e, como esperado, os brasileiros também adoraram ter descontos. O resultado disso é que já existem 1890 empresas com esse modelo de negócios de acordo com uma pesquisa feita pelo Portal de Ofertas, sendo que é um mercado bastante concentrado onde os 3 maiores (Peixe Urbano, Groupon e Clickon) possuem aproximadamente 70% do mercado, de acordo com a consultoria de comércio eletrônico e-bit.

O que deve acontecer nos próximos meses é uma consolidação do mercado onde muitas dessas empresas devem fechar e outras devem se especializar em nichos e locais não atendidos pelas maiores, ou seja, ficando com a Cauda Longa.

O Canvas é uma ferramenta simples para visualizar os principais aspectos do modelo de negócios das empresas, abaixo segue o Canvas que eu fiz do Peixe Urbano:

 

Peixe Urbano

 

View more presentations from Thiago Paiva

 

Como podem perceber, existem 3 cores diferentes de post-its, isso foi usado para facilitar a visualização das informações relacionadas a cada segmento de clientes.

Abaixo segue uma explicação detalhada sobre cada cor de post-it:

    • Azul: Relacionado ao segmento de cliente “Principalmente jovens e novos profissionais com acesso a internet”.
    • Vermelho: Relacionado ao segmento de cliente “Estabelecimentos com: Restaurantes, Bares, Spas, Salão de Beleza, Hoteis e Teatros”.
    • Amarelo: Relacionado a empresa como um todo, independente do segmento de cliente.

 

Além das cores, existem setas para relacionar a proposta de valor e o fluxo de receita a cada um dos segmentos de clientes.

Nesse caso, a proposta de valor para o segmento Azul é gratuita (o Peixe Urbano não cobra desse segmento para oferecer essa proposta de valor), entretanto é cobrado 30% das vendas de cada cupom para a proposta de valor do segmento Vermelho.

Ou seja, o segmento Azul recebe de graça o benefício oferecido pelo Peixe Urbano pelo fato do segmento Vermelho subsidiar esse benefício. Esse é um modelo de negócios grátis com três participantes onde um oferece o serviço gratuito a outro e um terceiro paga a conta por ganhar algum benefício.

As outras empresas de compras coletivas devem possuir um modelo bastante semelhante a esse, provavelmente mudando um pouco o foco no segmento de clientes, o relacionamento, o canal e o percentual cobrado em cima de cada cupom, os outros blocos do Canvas devem ser iguais.

 

Qualquer dúvida, comentário ou sugestão, mandem pelo meu Twitter (@ThiagoPaiva) ou postem no Tumbler clicando aqui.

 

#FicaaDica: Se você está pensando em criar uma empresa de compras coletivas, foque em algum nicho ou em lugares os quais as maiores empresas não não pretendem chegar, mas não espere ficar rico.