10 Principais Erros dos Empreendedores no Pitch: Parte 2

10 Principais Erros dos Empreendedores no Pitch: Parte 2

No post anterior eu listei 5 dos 10 Principais Erros dos Empreendedores no Pitch (leia o post anterior) agora vamos continuar a lista dos outros 5 erros faltantes:

 

Erro 6: Não atualizar o pitch

Uma coisa que eu posso garantir é que sua startup vai mudar! Dessa forma, é necessário que você continuamente atualize o pitch, além disso, ao fazer diversos pitchs, você vai descobrindo o que as pessoas entendem ou não, o que funciona melhor para um tipo de pessoa e tal.

O importante não é que você entenda o seu pitch, mas que as pessoas entendam, por isso você ainda vai ter que mudar muito ele.

De tempos em tempos, reveja seu pitch e incorpore mudanças na startup e aprendizados que você teve.

 

Erro 7: Não praticar dezenas de vezes

Fazer um bom pitch é muito mais do que apenas elaborar uma boa apresentação no Power Point, é como se fosse um show, você precisa performar.

Você não precisa ser um ator global para fazer um bom poitch, mas você irá precisar praticar e praticar para ficar cada vez mais natural e cada vez melhor. Não gosta de falar em público? Acredite em mim, você não está sozinho, se expor e fazer o pitch em eventos e competições vai te deixar cada vez mais tranquilo para isso, no começo não tem jeito, vai ter o frio na barriga mesmo.

Lembre-se que até mesmo o Steve Jobs ensaiava dezenas de vezes suas apresentações para ver se tudo iria correr bem. Não tem segredo, aqui a prática leva a perfeição.

 

Erro 8: Muito texto nas apresentações

Eu vejo muuuitas apresentações com slides cheios de texto, você quer que a platéia preste atenção em você ou no slide? Não quer que eu fique lendo, então não coloque texto.

Você é a apresentação, os slides são apenas um backup, um suporte para ajudar você a passar a sua mensagem. Dessa forma, coloque apenas os pontos essenciais nos slides (bullet points), use imagens (elas valem mais do que 1000 palavras), faça as pessoas prestarem atenção em você e só olharem os slides quando for necessário.

 

Erro 9: Não atingir todo mundo da platéia

Você já deve ter ouvido falar que existem 3 tipos de pessoas, as visuais, as auditivas e as cinestésicas. Dessa forma você precisa conseguir chamar a atenção de todas elas, pois sempre existiram os 3 tipos na sua platéia.

Visuais, para essas pessoas, estímulos visuais são muito importante. Use  imagens, gráficos ou vídeos para chamar a atenção delas na apresentação. Cuidado para não usar roupas ou equipamentos muito chamativos para não distraí-los da sua apresentação.

Auditivas, para essas pessoas o modo como você fala faz toda a diferença, é necessário falar de forma clara. A intonação e ritmo são coisas extremamente importante para eles (não apenas mas principalmente), apresentações monotónicas e sem pausas enfáticas vai deixar essas pessoas entediadas. Busque fazer pausas e usar a  intonação para dar ênfase em pontos relevantes.

Cinestésicas, essas pessoas prestam muita atenção a estímulos de movimento. Se você ficar se movimentando para um lado e para o outro, vai distrair essas pessoas ou até deixá-las incomodadas. Porém se você ficar parado pode não conseguir chamar a atenção delas. Dessa forma, é necessário que se balancei o movimento para manté-los atentos, usar a mão para fazer gestos e inclinação do corpo são formas de dar ênfase e chamar a atenção desse tipo.
Erro 10: Não conhecer sua platéia

Se você vai fazer uma apresentação e não sabe quem será sua platéia, você perderá uma excelente oportunidade de conseguir atrair a atenção dela fazendo apenas pequenas modificações, ou pior, poderá falar coisas que não sejam relevantes para aquele público.

Por exemplo, se sua platéia é de investidores do Vale do Silício, é importante você reforçar porque o Brasil é uma excelente oportunidade para eles. Ou se ela é de investidores focado no mercado que sua startup atua, talvez seja interessante se aprofundar em algum tema para mostrar que conhece do mercado.

Outra coisa, se a platéia é de investidores sêniors (mais velhos) poderá ser necessário aumentar o tamanho da letra. Como uma regra de dedos, Guy Kawasaki (autor do livro A Arte do Começo) fala para pegar a idade da pessoa mais velha da platéia e dividir por dois para ter o tamanho da letra que você deve utilizar.

Agora espero que vocês vejam com outros olhos o pitch e que se esforcem mais para aumentarmos o nível dos pitchs aqui no Brasil. Um bom pitch não garante um investimento, mas é um bom primeiro passo para isso.

Análise do Modelo de Negócios – Empreendemia

O Empreendemia surgiu do desejo de dois jovens engenheiros de empreenderem, o Millor Machado e o Luis Piovesana, que mais tarde se juntaram a um terceiro sócio, o Mauro Ribeiro.

Como muitas startups que estão começando, eles não tinham dinheiro para fazer a divulgação do Empreendemia.

Dessa forma eles resolveram criar um blog sobre tudo que estavam aprendendo de empreendedorismo, sendo que de maneira simples e direta, como forma de se projetarem no cenário de empreendedorismo brasileiro e de divulgarem o Empreendemia.

Foi aí que surgiu um dos maiores blogs de empreendedorismo do Brasil, o Saia do Lugar. O blog funcionou tão bem que se tornou uma peça chave para que o Empreendemia desse certo.

Ele possui hoje mais de 100 mil visitas por mês, entretanto, mesmo com toda a sua importância, o Saia do Lugar não é muito rentável e serve principalmente para alavancar o sucesso do Empreendemia.

O Empreendemia é uma rede social voltada para MPEs poderem realizar negócios com outras empresas de maneira fácil e gratuita. Seu modelo de negócios se baseia no modelo Freemium, oferecendo o acesso a rede social de maneira gratuita para todas as empresas, porém cobrando para as empresas que queiram utilizar recursos Premium ou o sistema de marketing da rede.

Apesar da idéia inicial ter sido rentabilizar a empresa pelo uso dos recursos pagos pelas MPEs interessadas, essa opção se mostrou pouco rentável, o que levou o Empreendemia a buscar o segmento de grandes empresas que queiram ter um contato mais próximo com as MPEs da rede como forma principal de receita.

Como o blog Saia do Lugar possui um papel muito importante para o Empreendemia, achei interessante fazer o canvas dele também. Apesar de seu canvas não difere muito de outros blogs profissionais, vale a pena conferir mesmo assim. Segue ele abaixo:

 

Saia do Lugar

 

View more presentations from Thiago Paiva

Já o canvas do Empreendemia acabou ficando um pouco complexo pelo seu próprio modelo ser assim. Para tentar facilitar o entendimento utilizei uma cor dupla (azul e vermelho) para indicar que para o mesmo segmento de clientes eram ofertadas duas propostas de valor diferentes: uma paga e uma gratuita.

Vejam abaixo como ficou o seu canvas:

 

Empreendemia

View more presentations from Thiago Paiva

Os riscos do desse modelo de negócios são basicamente uma mistura dos riscos do modelo freemium e de redes sociais:

  • Risco de baixa adesão de usuários grátis
  • Risco de baixa conversão para usuários pagos
  • Risco de definir errado os recursos premium e os recursos grátis
  • Risco de baixa interação entre os usuários

 

Seja com o blog de empreendedorismo ou com a rede social para MPEs, é importante ressaltar que eles fizeram uma grande contribuição para o cenário de empreendedorismo brasileiro.

Vale a pena conferir o blog e o twitter (@empreendemia) deles, além da rede do Empreendemia.

 

#FicaaDica: O sucesso do Empreendemia se deve muito ao blog Saia do Lugar por ter feito o que se chama de marketing de conteúdo, ou seja, o blog levava conteúdo relevante e de qualidade para o seu público e, por esse motivo, ele foi tão bem sucedido. O blog pode ser uma ferramenta extremamente útil para empresas iniciantes, mas é preciso se perguntar se o conteúdo do blog é interessante e se está relacionado com a área da empresa.