Novo modelo de negócios do Instragram?

Novo modelo de negócios do Instragram?

.

Você provavelmente deve ter visto na internet que o Instagram mudou seu Termo de Uso (se não viu, leia essa reportagem) e que, a partir do dia 16 de Janeiro, ele terá o direito perpetuamente para comercializar suas fotos sem precisar te avisar e muito menos te compensar por isso.

O Instagram ainda não se manifestou se o intuito dele com essa mudança é realmente fazer a venda das fotos e eu não vou entrar no mérito da questão. O meu objetivo nesse post é verificar o que mudaria no modelo de negócios deles.

Para ver o que mudaria, eu fiz o canvas antes e o depois (eu não prevejo o futuro, pelo menos não ainda, então é apenas uma ideia do que poderia ser) para mostrar o que poderia mudar do modelo atual para o modelo de vendas de fotos.

Segue abaixo o modelo canvas atual do Instagram:

.


.

Como vocês podem ver, atualmente ele não tem uma fonte de receita e, por isso, diz-se que ele não possui um modelo de negócios, pois não é sustentável no longo prazo. Apesar de ter levatando muito dinheiro de investidores, eventualmente esse dinheiro acaba e o negócio precisa se manter e dar retorno para os investidores.

Fazendo essa mudança no termo de uso, ele poderia vender as fotos para empresas, agências de publicidade, jornais, revistas, etc. Dessa forma ele teria uma fonte de receita (finalmente!) e teria um recurso importantíssimo, além das fotos, mas o direito sobre as fotos para vender. Algumas atividades seriam importantes, a venda da foto (seja pelo site ou por uma equipe de vendas) e a organização dessas fotos, pois existem milhões de fotos no Instagram e seria preciso conseguir localizar algumas específicas. Veja abaixo como o modelo de negócios pode ficar:

.


.

Digamos que a Pepsi queira comprar uma foto para uma nova campanha, como que ela acharia aquela foto interessante? Ou se o Instagram fosse vender fotos através de uma equipe de vendas, como que eles selecionariam as fotos para oferecer para a Pepsi?

Bom, como você pode perceber, mudaria o modelo de negócios deles e tornaria ele muito mais robusto e sustentável (ainda precisaria se verificar se o modelo geraria receita suficiente).

Pode ser que essa mudança no Termo de Uso deles seja, finalmente, uma forma deles terem valido tanto investimento. Porém pode ser a ruína deles, pois será que as pessoas vão aceitar essas condições facilmente?

É uma jogada arriscada, porém era preciso gerar receita com o Instagram o mais rápido possível. Pode ser que funcione (lembre-se que quando o Youtube começou a colocar propaganda todo mundo achava que eles iam perder muita audiência por isso), mas pode ser que seja um fracasso total.

Vocês concordam com essa jogada deles?

Citação – Desconhecido

Citação – Desconhecido

.

Infelizmente não consegui descobrir quem falou essa frase, mas eu gostei muito dela. Estratégia e planejamento não fazem milagre, você precisa te boas hipóteses e bons dados para que elas sejam úteis.

Muitos empreendedores com background de negócios fazem um plano de negócios lindo e maravilhoso com uma projeção de fluxo de caixa de 5 anos e acham que agora é só executar esse plano que a startup vai dar certo dentro do planejado.

O único problema é que sua estratégia e planejamento são apenas tão boas quanto as suas hipóteses e, quando se trata de startups, a única coisa que podemos afirmar com certeza é que nossas hipóteses estão erradas.

Por isso é preciso ter cuidado com planos de negócios e a partir para abordagens mais dinâmicas como a do modelo de negócios canvas.

.

Modelo de Negócios – Airbnb

Modelo de Negócios – Airbnb

Nesse post eu resolvi fazer algo diferente, não vou falar de  nenhuma startup brasileira e sim de uma startup bem conhecidado Vale do Silício, a Airbnb. Resolvi falar dela devido ao fato da sua estratégia e do seu modelo de negócios terem pontos interessantes.

A startup foi fundada em 2008 por Nathan BlecharczykBrian Chesky e Joe Gebbia com o objetivo de criarem uma forma mais fácil de se alugar casas, quarto e outros lugares por curtos períodos.

O negócio deu tão certo e cresceu tanto que eles já levantarem 120 milhões de reais de investidores. Mas o que eles fazem afinal? Eles são um plataforma para pessoas que querem alugar seus lugares extras que possuem e para viajantes que buscam uma opção diferente dos hotéis e albergues e a um baixo preço.

Ou seja, eles usam o modelo de marketplace onde possuem dois segmentos de clientes em que um tem quer alugar algo que o outro quer e o Airbnb tem apenas a função de facilitar essa negociação. Nesse caso, esse modelo também é conhecido como P2P (peer-to-peer) pois os clientes são ambos pessoas e não empresas, em referência aos sistemas P2P de compartilhamento de arquivos pela internet.

 Eles tiveram duas boas sacadas, a primeirea é que, ao contrário da maioria dos modelos de marketplace, o Airbnb consegue cobrar nas duas pontas. Cobram uma taxa de reserva dos viajantes (6-12%) e uma taxa dos anfitriões pelas reservas que bem sucedidas (3%);

A outra que achei sensacional é que eles contratam fotógrafos profissionais para tirar as fotos das casas para os anúncios, dessa forma as fotos ficam lindas e fazem com que as pessoas tenham muito mais interesse em fazer as reservas. Esse é um grande diferencial competitivo, pois na grande maioria dos sites parecidos com o Airbnb são os próprios usuários que tiram as fotos e dessa forma as fotos não ficam tão boas quanto a deles.

.

.

  • Garantir a segurança de quem aluga o seu local. Eles tiveram um caso de roubo que teve uma grande repercussão e que, depois desse caso, eles tiveram que começar a oferecer um seguro de até 50 mil dólares;
  • Expandir a base de fotógrafos para outras regiões e países em que eles passaram a atua;
  • Realizar as transações internacionais ao menor custo possível;
  • Se adequar as legislações locais dos países em que atua;

#FicaaDica: Como a sua startup pode se diferenciar da concorrência e ao mesmo tempo gerar valor? A ideia de usar fotógrafos profissionais para tirar as fotos dos lugares criou um grande diferencial para o Airbnb e que aumento a credibilidade e a qualidade do serviço deles.

Apesar dessa afirmação não parecer uma mentira, ela é. Muitas pessoas são levadas a fazerem um plano estratégico elaborado que leva em conta diversas variáveis e cenários, apesar dessa abordagem parecer ser a mais lógica, ela não funciona para startups.

O ambiente em que as startups atuam são ambientes cheios de incertezas e onde geralmente não se possuem históricos para comparação. Por esse motivo, a metodologia que tem se provado mais eficiente é a de tentativa e erro (a qual o Lean Startup prega) , onde desenvolver, testar no mercado e corrigir tem sido muito mais importante do que o próprio planejamento estratégico.

Vale lembrar que o pensamento estratégico é necessário para direcionar a execução, porém não se deve ficar dentro do prédio atrás de uma mesa pensando como o mercado reagirá ao seu produto. 

Por isso, invista sim um tempo no pensamento estratégico para saber aonde você quer chegar, porém gaste mais tempo no desenvolvimento e colocando ele no mercado. Importante também não ficar preso a seu planejamento inicial, pode ter certeza que ele estará errado! 😉